O Museu de Pré-história Casa Dom Aquino foi inaugurado no dia 07 de Dezembro de 2006,  fruto de uma parceria entre e o Instituto Ecossistemas e Populações Tradicionais (ECOSS) e a Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (SEC).

 

Esta parceria ocorre desde 1998, quando o ECOSS assinou o convênio para realizar a salvaguarda dos materiais arqueológicos e paleontológicos na Casa Dom Aquino, somando, assim mais de dez anos de parceria. O museu vem enfocando a difusão das informações contidas em seu acervo somando aproximadamente 150.000 bens culturais e está dividido em três áreas: arqueologia, paleontologia e geologia, destacando-se fósseis, rochas, minerais, artefatos líticos, cerâmicos, e materiais históricos. A exposição deste material é organizada demonstrando a evolução da vida durante as Eras Geológicas, de modo a auxiliar o entendimento e a complementar o conteúdo exposto em sala de aula, proporcionando ao professor a oportunidade de realizar atividade extra classe. O acervo é o resultado de vários projetos de pesquisa realizados pelo ECOSS e por seus pesquisadores no Estado de Mato Grosso.

O que gera uma segurança nas informações técnicas sobre o acervo.

A principal atração do museu são os fósseis da “Preguiça Gigante” que

possui excelente estado de conservação, sendo fruto do Projeto “Fósseis

Pleistocênicos da Gruta do Curupira”, financiado pelo CNPq e executado

pela pesquisadora Suzana Hirooka, durante o período de 1988 a 1992.

Este projeto gerou um acervo de mais de 2.000 fósseis da fauna pleistocênica,

coletados na Gruta do Curupira, Rosário Oeste, Mato Grosso.

Alguns desses fósseis representam animais extintos como a preguiça gigante

(Eremotherium laurillardi) e o Tatu Gigante (Pampatherium humboldti) que

viveram há mais de 10.000 anos. O museu possui ainda fósseis de diversos

períodos geológicos e de diferentes locais do Estado de Mato Grosso,

destacando-se os icnofósseis de Arthrophycus sp, do Município de Juscimeira,

dinossauros mesozóicos (Sauropodas) de Chapada dos Guimarães e também

fósseis do devoniano, encontrados na formação Ponta Grossa, também na

Chapada dos Guimarães, como trilobita e braquiópodes.  

 

Além dessas, existem outras peças no acervo que são doações de achados fortuitos e de outros projetos do ECOSS e de suas parcerias realizados antes da inauguração do Museu. No ano 2000, através do Projeto “Paleoambiente”, financiado pelo Fundo de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (FAPEMAT) e realizado pelo ECOSS em parceria com IRD e a Universidade de Brasília (UnB), foi realizado um estudo sobre o clima no passado com espeleotemas e sedimentos cavernícolas.  No ano de 2002, o ECOSS em parceria com UNIVAG, realizou o Projeto Sítio Escola, onde 233 alunos universitários, ao longo de dois anos, realizaram escavações arqueológicas na Casa Dom Aquino, onde hoje é o Museu de Pré-história, objeto desta proposta. Este projeto resultou em mais de 5.000 fragmentos arqueológicos do século XIX, que estão em exposição. Novamente a FAPEMAT, no ano de 2005, financiou o Projeto “Localização de Engenhos do Século XVIII e XIX na Região de Cuiabá e Chapada dos Guimarães”, através desse projeto foram localizados e mapeados 15 sítios arqueológicos históricos, relacionados com os engenhos de cana de açúcar. Desses sítios, mais de 500 artefatos arqueológicos históricos foram resgatados e compõem o acervo do museu. Muitos outros artefatos que representam algumas das culturas que viveram no Mato Grosso e estão na reserva técnica do Museu, foram obtidos dos projetos de salvamento arqueológico, realizados pelo ECOSS, e que foram devidamente autorizados pelo IPHAN.

 

A última ação do ECOSS que busca aumentar as pesquisas e o acervo do Museu é o Projeto Dinossauros, que concorreu e foi selecionada no Edital da Fapemat de 2008, com previsão de inicio ainda neste ano de 2009. Este projeto almeja a localização e identificação de fósseis de dinossauros da região de Chapada dos Guimarães e ainda iniciar jovens pesquisadores na área da paleontologia de répteis cretáceos. O museu realiza cursos de cerâmica arqueológica, onde os conhecimentos da cerâmica de diversos sítios arqueológicos pesquisados são repassados aos ceramistas atuais de modo que novos elementos decorativos e formas de cerâmica venham a agregar valor a cerâmica atual. Assim o Museu de Pré-história Casa Dom Aquino realiza pesquisas, com o objetivo de resgatar e proteger o patrimônio paleontológico e arqueológico do estado de Mato Grosso, salvaguardando esses materiais, bem como o prédio tombado pelo Patrimônio Histórico onde este está instalado. Além destas pesquisas, o museu possui projetos que visam iniciar jovens pesquisadores nas áreas das Geociências e realiza cursos, visitas monitoradas para escolas, eventos anuais, entre outros, como modo de inclusão da sociedade dentro do contexto cultural e histórico deste estado.

.

Acesse nossa Página

  • Facebook Social Icon
1/1